Windows Live Messenger

sábado, 13 de abril de 2013


Idoso é espancado por três jovens em Rio Claro
 Enviado por luisnassif, sab, 13/04/2013 - 12:18



Por J.Roberto Militão

Essa notícia é alarmante, pois além da agressão absurda de um idoso, com conotação racista, a polícia civil de São Carlos procura preservar a identidade dos acusados que foram presos. Ora, a meu ver a identificação dos suspeitos pode facilitar as denúncias de outros crimes correlatos.

Do G1

Idoso de 71 anos espancado por três jovens tem piora e é levado para UTI

Segundo médico, guardador de carros tem lesões no cérebro e na face. 'A agressão foi para execução e todos estamos perplexos', afirma o filho.

Felipe Turioni

O guardador de carros de 71 anos, que foi espancado por três jovens que seriam de um grupo neonazista, em Rio Claro (SP), foi transferido para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa da cidade, na noite de sábado (6). Segundo um boletim médico divulgado na tarde deste domingo (7), seu estado de saúde é grave. Benedito Oliveira foi agredido pelo trio na madrugada de sábado. Dois foram presos e o terceiro ainda é procurado. Um dos presos teria dito para um guarda municipal que ‘negros têm que morrer mesmo’.

De acordo com o médico da UTI da Santa Casa de Rio Claro, Hegberto Gustavo do Carmo, o idoso possui um edema no cérebro e a equipe médica aguarda redução do inchaço cerebral nas próximas 48 horas para apresentar um diagnóstico. “Fizemos duas tomografias e a segunda apresentou redução do inchaço, mas o edema existe”, explicou.
Além de um trauma no crânio, Oliveira apresenta lesões na face. “A lesão foi para agredir, mesmo, não atingiram tórax, nem braço, só a cabeça”, afirmou o médico.

Orações
“A agressão foi para execução e todos estamos perplexos”, disse o filho do idoso, José Donizete Santana de Oliveira em entrevista ao G1 neste domingo. “Os médicos pediram para a gente orar, torcer, porque mesmo que ele sai dessa, ele poderá ficar com alguma sequela”, contou.

No sábado, o filho do guardador de carros se disse impressionado com a situação em que o pai foi deixado. “Eu ainda não sei o porquê disso. Ele está terrível e a gente fica até impressionado de ver”.

O idoso, que mora em Ipeúna, costuma ir a Rio Claro para complementar a renda guardando carros em eventos e festas no bairro Santa Cruz. “Ele é conhecido ali e nunca mexeu em nada. Esse foi o primeiro incidente”, afirmou o filho.

Racismo
Os dois presos, um rapaz de 20 e outro de 21, são do Paraná e estavam em Rio Claro a trabalho. Segundo a polícia, eles têm tatuagens de cunho racista e a polícia paranaense informou que eles são suspeitos de integrar um grupo neonazista. “Ele falou que não gostava de negro e que negro tinha que morrer mesmo”, disse o guarda municipal José Carlos Lopes de Barros.

Em depoimento, eles negaram que sejam do grupo e que apenas são amigos de pessoas ligadas ao movimento. Ambos vão responder por lesão corporal grave e lesão corporal leve, já que um homem de 57 anos também alegou ter sido agredido. O terceiro suspeito do crime ainda não foi localizado.

Os dois presos ainda não têm advogado e devem ser transferidos para a penitenciária de Itirapina.

O caso
De acordo com a Guarda Civil Municipal, por volta das 2h30, guardas receberam a denúncia de que havia um senhor caído em uma calçada e que tinha sido vítima de agressão.

Moradores disseram que os autores foram dois jovens que fugiram. Eles foram encontrados perto do local e levados para a delegacia de plantão. Durante o caminho, eles disseram frases de intolerância como ‘paulistas são todos burros’,  ‘os pobres tinham que morrer’ e que ‘não gostavam de velhos’.

Nenhum comentário:

Postar um comentário