Windows Live Messenger

quarta-feira, 29 de agosto de 2012


Presidente do Senegal decide suprimir o Senado

Por Paulo F.
Tem, no Brasil, quem entra em delírio com tal idéia.
Do Diário de Notícias de Lisboa
por Lusa, publicado por Luís Manuel Cabral
O presidente do Senegal, Macky Sall, anunciou na terça-feira que vai suprimir o Senado para poder financiar um programa nacional de saneamento e a assistência a dezenas de milhares de afetados pelas inundações, noticia a EFE.
Sall fez o anúncio, em declarações à imprensa, durante o seu regresso antecipado a Dakar, depois de uma viagem privada à África do Sul.
"Decidi submeter à Assembleia Nacional, e em procedimento urgente, um projeto de reforma constitucional que prevê a supressão do Senado", afirmou.
Realçou que os sete milhões de euros destinados ao financiamento da instituição vão servir para financiar um projeto nacional de saneamento e ações urgentes para realojar os sinistrados.
Estima-se que dezenas de milhares de pessoas ficaram sem habitação, tanto em Dakar e arredores, como no interior do país.
O Presidente Sall sublinhou a importância do Senado num sistema democrático, mas opinou que, no contexto atual, não é prioritário.
"O alívio dos sofrimentos do povo é mais importante que o Senado, pois temos de acabar com as inundações que afetam o país de forma cíclica", acrescentou.
Apresentou ainda as suas condolências às famílias das vítimas mortais causadas pelas chuvas no passado fim-de-semana, que, segundo o último balanço, ascendem a uma dezena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário