Windows Live Messenger

quarta-feira, 29 de agosto de 2012


França investiga causas da morte de Arafat

Por Marcos RTI
Da RFI
A justiça francesa abriu nessa terça-feira um processo para investigar as causas da morte do ex-líder palestino Yasser Arafat. A iniciativa responde a um pedido da viúva do ex-dirigente, que acredita que seu marido, falecido na França em 2004, teria sido envenenado.

A partir dessa terça-feira três juízes franceses vão investigar as circunstâncias da morte de Yasser Arafat. O processo foi aberto a pedido da viúva do ex-líder palestino, Souha Arafat, que suspeita que seu marido foi envenenado.

A causa exata da morte do ex-chefe da Autoridade Palestina nunca foi divulgada pelo hospital militar francês Percy, onde ele faleceu, em 2004. Na época, apenas a hipótese de uma inflamação intestinal foi anunciada pela imprensa.A polêmica foi lançada em julho passado, quando um documentário transmitido pelo canal de televisão árabe Al-Jazeera revelou que um instituto de Lausanne, na Suíça, teria descoberto “uma quantidade anormal de polônio” em amostras dos pertences de Arafat. A substância é a mesma que foi usada para envenenar, em 2006, o ex-espião russo Alexandre Litvinenko em Londres. A denúncia fez com que a Autoridade Palestina pedisse a exumação do corpo e que a viúva solicitasse a abertura de um inquérito na justiça.

Os familiares de Arafat festejaram o anúncio do processo. O presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, também pediu oficialmente ao presidente francês François Hollande ajuda para investigar as circunstâncias da morte do ex-dirigente. Já do lado israelense, o porta-voz do ministério israelense das Relações Exteriores disse apenas que seu país não se sente ligado a essa investigação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário