Windows Live Messenger

sexta-feira, 31 de agosto de 2012


Clint Eastwood declara apoio à candidatura de Mitt Romney

Por Assis Ribeiro
Do Associated Press
TAMPA, Fla. (AP) — Clint Eastwood, the Hollywood filmmaker who knows all about sticking to the script, turned in what seemed like an oddly unscripted endorsement of Republican Mitt Romney Wednesday night.
Standing on the convention stage with an empty chair, Eastwood carried on a sometimes rambling conversation with an imaginary President Barack Obama.
The actor and director talked about Oprah Winfrey, Obama's unfulfilled promise to close the U.S. prison at Guantanamo, the wars in Iraq and Afghanistan and lawyers.
At one point, Eastwood talked about letting Obama go and making a change.
"When somebody doesn't do the job, you gotta let 'em go," Eastwood said. The tough-guy actor of " Dirty Harry" fame drew a finger across his throat.
The crowd cheered Eastwood's entrance and shouted his famed catchphrase, "Go ahead, make my day." But backstage, stern-faced Romney aides winced at times as Eastwood's remarks stretched on.
On a night where virtually every moment was scripted, Eastwood was among the only speakers not reading from a teleprompter as he spoke.
The Oscar-winning director of "Unforgiven" and " Million Dollar Baby," Eastwood criticized Obama for failing to turn the economy around and for wanting to close the Guantanamo Bay prison for terror suspects.
Eastwood says Obama has failed to deliver on his promises and it's time for Romney and his running mate, Paul Ryan, to take over.
He entertained the audience with a mock interview with Obama, posing questions and pretending that Obama had told Eastwood to shut up.
Eastwood endorsed Romney earlier this month at a campaign event in Sun Valley, Idaho.
___
Associated Press writers Kasie Hunt and Steve Peoples contributed to this report.
---------
Do Último Segundo
Ator arranca gargalhadas da plateia ao conversar com 'Obama imaginário' na convenção republicana, mas é alvo de críticas na internet
O ator e diretor americano Clint Eastwood roubou a cena na grande noite da confirmação de Mitt Romney como o candidato republicano à presidência dos Estados Unidos. No palco daconvenção republicana em Tampa, na Flórida, Eastwood arrancou aplausos e risos da plateia ao conversar com uma cadeira vazia numa conversa imaginária com o presidente americano, Barack Obama, rival de Romney na eleição de novembro.
"O país é nosso, os políticos são nossos empregados, e quando alguém não faz o seu trabalho é preciso demiti-lo", afirmou Eastwood, vencedor do Oscar de Melhor Diretor por "Menina de Ouro" e "Os Imperdoáveis".
Eastwood, 82 anos, já foi prefeito de Carmel, na Califórnia, e tem uma longa relação com o Partido Republicano. Defensor do conservadorismo fiscal, ele adota posições associadas aos democratas em questões sociais como o casamento homossexual e a proteção do meio ambiente. Seu apoio a Romney foi anunciado no início do mês, quando se uniu a outrascelebridades que apoiam o republicano, como os atores Jon Voight e Chuck Norris. Um maior número de famosos, porém, apoia Obama.
A participação de Eastwood na última noite da Convenção Nacional Republicana começou com um discurso, sem teleprompter, no qual ele falou sobre a vitória de Obama nas eleições de 2008. "Ele prometia mudança e esperança, havia velas, (a apresentadora) Oprah (Winfrey) chorava. Até eu chorava. Mas agora choro pelos 23 milhões de desempregados neste país", disse à cadeira vazia, que simbolizava, segundo ele, a liderança ausente da Casa Branca.
Eastwood aproveitou para atacar a gestão econômica de Obama, seus esforços para fechar o centro penitenciário de Guantánamo e "a estúpida ideia" de julgar os suspeitos dos atentados do 11 de Setembro em Nova York. Para o ator, chegou a hora de Romney, "um empresário estelar", tomar as rédeas do país e, ao lado do candidato republicano a vice-presidente, Paul Ryan , passar a dirigir os EUA.
A campanha de Obama respondeu rapidamente ao discurso de Clint, publicando no Twitter uma foto do líder na cadeira presidencial e a mensagem: "Esse lugar está ocupado".
Eastwood fez sucesso com a plateia, mas recebeu uma enxurrada de críticas na internet. "Clint, meu ídolo, está parecendo triste e patético", disse Roger Ebert, um dos mais importantes críticos de cinema dos EUA, no Twitter. "Ele não precisava fazer isso consigo mesmo. Não é digno dele."
O comentarista da CNN Howard Kurtz afirmou que a conversa de Eastwood com a cadeira vazia foi "o momento mais estranho que ele já viu em uma convenção". Joe Scarborough, um apresentador conservador da MSNBC, disse que o ator e diretor atrapalhou "uma ótima noite para Romney".
Nos bastidores da convenção, muitos republicanos se mostraram preocupados com o discurso de Eastwood, que provocou mais comentários no Twitter do que o tão aguardado discurso de Romney. Oficialmente, porém, a campanha só fez elogios ao ator.
"Ele é um ícone americano", disse a porta-voz de Romney, Gail Gitcho. "Você não pode olhar para ele sob as mesmas 'lentes políticas' que olha para os outros. Ele é Clint Eastwood."
Com AP e EFE

Nenhum comentário:

Postar um comentário