Windows Live Messenger

sábado, 26 de maio de 2012



From: Vila Vudu
Sent: Thursday, May 24, 2012 9:43 PM
Subject: Como Osama elege Obama [25/5/2012, Pepe Escobar, Asia Times (traduzido)]
 
COMO OSAMA ELEGE OBAMA

Acordo nuclear com o Irã? Retirada organizada do Afeganistão? A eurozona arranjando pelo menos um pouco de fôlego? Petróleo a preços estáveis? Esqueçam. O eleitor estrangeiro crucialmente decisivo para Obama II na Casa Branca é Osama bin Laden. Chame de “para vencer, Obama dá um trato na estratégia Osama”. 

Não surpreende que a estratégia para vencer tenha sido terceirizada para o combo Hollywood/Pentagon. Washington perdeu a Guerra do Vietnã, mas nas telas, venceu. A dona do Oscar, Kathryn (Hurt Locker/Guerra ao Terror) Bigelow já começou o processo de “vencer” a Guerra do Iraque nas telas – moralmente, que seja. Agora é hora de um novo projeto – outro filme, ainda sem título – sobre o raid “Pegue Osama”, em Abbottabad, em maio de 2011, e os eventos que levaram até o raid. Estrelando, POTUS(President of the US), como herói de seu próprio filme de ação. 

Dê o fora, Homem Aranha! 

Na essência, será um multimilionário spot de campanha eleitoral à moda Hollywood, de 90 minutos, que se verá em todas as telas dos EUA, vendendo Obama como o machão comandante-em-chefe que George W Bush sempre sonhou ser. É o mesmo modus operandido recente Battleship[1] -- que não passa de comercial de recrutamento para a Marinha dos EUA, super berrado. 

A organização de defesa do interesse público Judicial Watch,[2]  com sede em Washington-DC, acaba de revelar vários documentos – 153 páginas de registros do Pentágono; 110 páginas de registros da CIA – apresentados como “tão difíceis de arrancar das mãos do governo Obama quanto comprar um bilhete premiado na lojinha de doces local”. A Judicial Watch precisou de nada menos que nove meses e um processo federal, para obrigar o governo Obama a mostrar os documentos. 

Os documentos detalham o processo pelo qual Bigelow e seu roteirista Mark Boal converteram-se em darlings de ambos, do Pentágono e da CIA. E ganharam acesso privilegiado ao “estrategista, planejador, operador e comandante do Team Six dos SEAL” – a super top equipe de Forças Especiais que (sim, segundo alguns; não, segundo milhões em todo o mundo) assassinou Bin Laden num raid contra o prédio onde vivia em Abbottabad no Paquistão, há um ano. 

O ataque em si é descrito como “ ‘Corajosa Decisão’ de ‘POTUS’ ”, para o qual “foi crucial o envolvimento de WH [White House/Casa Branca].” 

Bigelow e Boal tiveram acesso, até, ao “cofre” – o bunker da CIA onde aconteceu parte do planejamento tático decisivo para o raid

Quanto a fotos e vídeos que provariam – acima de qualquer suspeita razoável – que o assassinado foi, mesmo, Bin Laden, Judicial Watch foi impiedosamente segregada. Para o governo Obama, é assunto de segurança nacional. 

O que interessa é que tudo é super cool na operação Obama-Homem Aranha: com perfeito timing, o super comercial estará ao vivo nas salas de cinemas de todo o território dos EUA, dia 12 de outubro. Será a maior não-surpresa de outubro[3]. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário