Windows Live Messenger

sexta-feira, 30 de março de 2012

enterro do atirador de Toulouse
Por Paulo F.
Da Reuters
Argélia rejeita corpo, e Toulouse enterra atirador francês
TOULOUSE, 29 Mar (Reuters) - O corpo de Mohamed Merah, que matou neste mês sete pessoas no sul da França antes de ser abatido num cerco policial, foi enterrado na quinta-feira em Toulouse, cenário de algumas das mortes, depois de a prefeitura local revogar a proibição do sepultamento na cidade.
Merah, que disse ter agido sob inspiração da Al Qaeda, deveria ter sido enterrado numa aldeia do norte da Argélia, a pedido do pai dele, que mora no lugar. Mas o pedido foi rejeitado por razões de segurança, segundo informou à Reuters na quinta-feira Abdallah Zekri, assessor da direção da Grande Mesquita de Paris.
Uma testemunha da Reuters viu o corpo de Merah ser sepultado por volta de 19h (14h em Brasília) na ala muçulmana de um cemitério da periferia de Toulouse. Cerca de 20 pessoas, a maioria jovens, acompanharam o enterro, sob grande escolta policial.
O prefeito da cidade, Pierre Cohen, inicialmente pediu o adiamento do enterro para que o governo estudasse a possibilidade de que ele acontecesse em outro lugar. Cohen considerava inadequado que Merah fosse enterrado na cidade, depois de matar três crianças judias, um rabino e três soldados na própria Toulouse e na vizinha Montauban.
Cohen disse a jornalistas que recuou do veto ao enterro por orientação do governo nacional, atendendo a razões legais.
O prefeito disse temer que Merah se transforme em mártir, e afirmou que seu enterro na cidade poderia "perturbar a ordem pública, e vai contra os esforços que tenho feito para unir os cidadãos de Toulouse desde o início desses crimes hediondos".
Nicole Yardeni, dirigente regional da entidade judaica Crif, disse temer que o túmulo de Merah vire local de peregrinação para jihadistas. A candidata direitista a presidente Marine Le Pen acusou o presidente Nicolas Sarkozy de se curvar a exigências da Argélia.
"Mohamed Merah derramou sangue sobre o nosso solo, sobre a nossa bandeira, mas será enterrado em território francês por causa da ultrajante capitulação de Nicolas Sarkozy às autoridades argelinas", disse ela em nota.
Uma fonte do governo argelino confirmou anteriormente que Argel rejeitou o enterro de Merah na localidade de Bezzazz. "A Argélia não tem nada a ver com o caso, e não entendemos por que alguns círculos na França estão tentando nos envolver nisso. Por isso tomamos a decisão de não admitir o corpo por enquanto na Argélia", disse a fonte, que pediu anonimato e ressaltou se tratar de uma "decisão temporária".
O pai de Merah criticou as autoridades francesas por não terem sido capaz de capturá-lo com vida ao final de 30 horas de cerco, na semana passada, e disse que pretende processar o governo da França.
Zahia Mokhtari, advogada de Merah, disse que o pai do atirador chorou ao saber que o corpo não iria para a Argélia. "Ele queria que ele tivesse um sepultamento de acordo com a sua religião, e descansasse na terra da sua família. Quando soube (da recusa), ficou surpreso e chorou muito."

Nenhum comentário:

Postar um comentário